Sandrinha

Todo mundo aqui já conhece a Sandra Couto Gregório, também conhecida como Sandrinha ou Novinha. Ela faz parte da história da Coferly há algum tempo…

SANDRA COUTO GREGÓRIO - ENCARREGADA DA CODIFICAÇÃO

Por volta de 1982, começou a trabalhar na Coferly. Seu marido era amigo do Vavá e por ele ficou sabendo que a empresa estava precisando de meninas.

Ainda na Casa Verde, antiga sede, a fábrica não se parecia nada como a de hoje – uma aparência de casinha, pequena e aconchegante.

“Lá alagava muitas vezes, tinha dia que chegávamos e antes de começar o turno a gente tinha que arregaçar as mangas e limpar tudinho”, lembra Sandrinha.

Ao longo dos anos a empresa foi crescendo e ela foi acompanhando o seu progresso – da Casa Verde para o Tamboré e do Tamboré para Cotia.

“Quando a gente chegou aqui em Cotia não tinha nada. Lá atrás não tinha nenhuma construção, nós ficávamos na hora do almoço do lado de fora vendo os macaquinhos”.

Sandra se orgulha em dizer que sente a Coferly como uma família – afinal já está aqui há cerca de 30 anos e é uma das colaboradoras com mais tempo de casa. Quando ela começou, a empresa tinha poucos funcionários e com o tempo e o crescimento novas pessoas foram chegando.

“Eu gosto muito de ensinar, sempre quando entra alguém eu sinto prazer em passar a bagagem que construí aqui dentro”.

Orgulha-se em dizer que os valores da companhia são os mesmos que o seu. Foi criada com base neles e com o tempo em que trabalha aqui, eles foram cada vez mais se fixando em sua vida.

O valor que mais se identifica é o de PESSOAS e o RESPEITO.

“Eu falo para as ‘minhas meninas’ (Codificação) que nós temos que vir pra empresa e nos dedicarmos, não podemos pensar só no pagamento. Temos que trabalhar com amor e sempre manter o respeito com todo mundo. Eu construí muita coisa aqui dentro e sou muito grata. Tudo o que tenho na minha vida, casa, carro, eu conquistei trabalhando aqui”.

Perguntamos para ela se tem algum conselho para as os colaboradores que estão aqui há menos tempo:

“Nós temos que ser gratos por tudo que conquistamos, ter um trabalho já é uma conquista. As vezes passamos por momentos difíceis, mas temos que parar de reclamar e agradecer. Sempre lutar”.