Outubro Rosa: Conheça a história da Nilci

Outubro é o mês da prevenção do Câncer de Mama, para encerrar esse mês de conscientização, conversamos com a Nilci, que nos deu um depoimento muito importante sobre a sua luta contra a doença.

Leia abaixo:

Coferly: Como você descobriu que estava com Câncer de Mama?

Nilci: Em 2016, eu realizei uma consulta de rotina com um ginecologista e nada foi observado, mas depois de uns dois meses percebi um nódulo e voltei nesse mesmo médico, onde imediatamente pediu uma mamografia e após o resultado fez um encaminhamento para um mastologista.

A partir daí começou uma investigação maior, foram exames atrás de exames para saber se o tumor havia se espalhado, mas estava localizado, por fim fiz a cirurgia e 21 sessões de radioterapia.

Coferly: Qual foi a sua primeira reação ao receber o diagnóstico? 

Nilci: Quando a médica confirmou o tumor por meio de uma pulsão, eu não acreditei que isso estava acontecendo comigo. O sentimento foi de revolta e muita tristeza, como se a vida estivesse dando uma rasteira em mim.

Passavam mil coisas na minha cabeça ao mesmo tempo, uma delas era que eu poderia morrer, me senti a beira da morte e já me imaginava careca, que eu ia me definhar, era muita coisa ao mesmo tempo.

Coferly: Alguém na sua família já teve a doença?

Nilci: De mama somente eu, mas tenho casos na família.

Coferly: Depois de passar o susto de descobrir o câncer, como passou a lidar com ele?

Nilci: O primeiro ano ainda foi muito difícil para mim, exames realizados causava sempre uma tensão, hoje lido melhor com a situação, é uma doença que você nunca terá uma alta médica. Sou acompanhada por especialistas, tomo medicação diariamente para evitar que ele volte.

Recentemente fiz outra cirurgia por conta dos efeitos colaterais do remédio que tomo. O câncer é uma pós-graduação intensa sobre a vida e ele me mostrou que não existe privilégio maior que viver o hoje.

Coferly: Que recado você daria para alguém que está passando pelo mesmo tratamento que passou?

Nilci: Primeiramente eu me solidarizo com todas as pessoas que estão passando por isso. Tenham coragem, muita coragem. O câncer hoje não é mais uma sentença de morte, porém faz muita diferença descobrir a doença no início.

Coferly: Qual a importância da prevenção? Você teria feito algo diferente?

Nilci: Eu sempre me cuidei, sempre fui atenta a minha saúde, não bebo, não fumo. O câncer não escolhe cor, raça, religião ou poder aquisitivo, por isso é importante se cuidar, fazer os exames de rotina, pois quanto mais cedo for detectado, mais fácil será a chance de se curar.

“A esperança não é a última que morre e sim a única que aparece quando tudo parece perdido. Tenhamos sempre fé, esperança e coragem para enfrentar os obstáculos da vida”, conclui Nilci.